quarta-feira, 30 de junho de 2010

Vasconcelos aponta disputa desigual em Pernambuco

O senador Jarbas Vasconcelos (abaixo) disse hoje, durante o lançamento de sua candidatura ao governo de Pernambuco, que a disputa no Estado será desigual. Ele terá de enfrentar o governador Eduardo Campos (PSB), que é apoiado por uma coligação de 17 partidos e tem o presidente Luis Inácio Lula da Silva como aliado.
Vasconcelos além de não ter votos nem apoios ainda tem que carregar a mala sem alça de Serra num estado onde ninguém quer nem ouvir falar no Vampiro e seu Índio de estimação. Felizmente ele terá o apoio do grande Raul Jungmann, aquele que disse que o Lula ia confiscar a poupança, que concorre ao cargo de terrorista senador.

Dilma no Roda Viva

Ficha do vice

Do Blog do Brizola Neto

O vice é o homem da merenda? Leia o próprio PSDB

O Blog do barrigueiro Noblat acaba de anunciar que o vice do Serra será o deputado Índio da Costa, do DEM. Apresenta-o como o relator do ficha-limpa. Mas não é bem assim. Ele foi um dos alvos da CPI na Câmara dos Vereadores que investigou superfaturamento e má-qualidade nos alimentos comprados para a merenda escolar, quando eu ainda era vereador. A CPI foi pedida pelo meu amigo e deputado Edson santos (PT) e relatada pela – atenção – vereadora tucana Andrea Gouvêa Vieira. Vou transcrever o texto que está numa das páginas dela na internet, de onde tirei também a ilustração:

O relatório de Andrea concluiu que a licitação para a compra de gêneros alimentícios para a merenda, entre julho de 2005 e junho de 2006, realizada pela Secretaria Municipal de Administração e pela Secretaria Municipal de Educação, no valor de R$ 75.204.984,02, causaram prejuízo aos cofres públicos. 99% do fornecimento ficaram concentrados numa única empresa, a Comercial Milano, que apresentou uma engenhosa combinação de preços em suas propostas. A licitação ocorreu num único dia, mas foi dividida 10 coordenadorias de educação (CREs). O "curioso" foi que esta empresa ofertou preços diferentes para o mesmo alimento. O preço do frango da proposta da Milano, por exemplo, para Santa Cruz, era cerca de 30 % mais caro do que o preço ofertado para Campo Grande. Detalhe: em Santa Cruz a Milano não teve concorrentes e em Campo Grande sim. Como ela soube da falta de concorrentes, um mistério. E a Prefeitura aceitou isso! Pagou à mesma empresa, pela mesma mercadoria, preços muito diferentes. Essa foi a característica geral dessa licitação: uma combinação de preços que otimizaram os ganhos de uma única empresa fornecedora em prejuízo dos cofres públicos.

Na primeira parte do relatório, a CPI concluiu que o então Secretário de Administração, Índio da Costa, deveria ter cancelado a licitação porque as regras do edital levaram a um resultado que contrariou o objetivo inicial de atrair dezenas de pequenos comerciantes locais a vender para as escolas dos bairros, descentralizando o fornecimento, e pelo melhor preço. Ao contrário, a licitação acabou por provocar a maior concentração de entrega de gêneros alimentícios na história da merenda escolar.

Como evidência incontestável do prejuízo aos cofres públicos, o relatório revelou que o pregão presencial adotado depois da instalação da CPI pelo sucessor do Secretário Índio, um ano depois, possibilitou uma economia de cerca de R$ 11 milhões na compra da mesma merenda escolar.

Durante o processo licitatório, segundo o relatório da CPI, foram identificadas diversas irregularidades no registro das atas das reuniões de entrega, abertura e verificação de documentos. Chamou a atenção o fato de a empresa Milano ter sido a única a ter acesso aos documentos das empresas concorrentes ainda durante o período em que a Comissão de Licitação analisava a documentação dia 23 de março de 2005, enquanto os pedidos de vista das demais só ocorreram após o dia 31 do mesmo mês, quando já havia sido anunciado o julgamento dos documentos.

Uma das empresas eliminadas – a única que conseguiu na Justiça liminar para que a Secretaria de Administração não destruísse sua proposta de preços – mostrou, quase um ano depois, quando a Justiça obrigou a abertura do envelope, que se não tivesse sido desabilitada, teria vencido a Milano em vários quesitos, com condições mais vantajosas para o Município.

A Prefeitura não conseguiu demonstrar, de forma objetiva, como a empresa Milano conseguiu um resultado tão favorável. A única explicação dada pelo então Secretário de Administração, Índio da Costa, e pelos diretores da Milano, de que o acerto se deu em virtude do estudo das concorrências anteriores, levou a CPI a duas conclusões:

1- Se era possível antecipar resultados, houve falha nas regras do edital.

2- Se a Administração municipal aceitou pagar, pelo mesmo produto, preços significativamente diferenciados, sem que houvesse uma explicação objetiva para esse fato – custo de logística, por exemplo – não cumpriu um dos preceitos da licitação que é comprar pelo menor preço.

As duas conclusões deveriam ter levado a Secretaria de Administração a, obrigatoriamente, cancelar a licitação.

Na segunda parte do relatório apresentado pela vereadora Andrea Gouvêa Vieira, a CPI concluiu que houve omissão, negligência e despreparo na fiscalização do contrato assinado com a empresa Milano, que reiteradamente entregou, durante todo o ano, carne bovina e frango fora das condições exigidas, trazendo complicações ao funcionamento já precário de muitas escolas, dificultando o preparo das refeições, e, em muitas ocasiões reduzindo a quantidade de alimento, principalmente carne e frango, no prato das crianças.

Depoimentos de merendeiras e o relatório das visitas às escolas feito pelo Conselho de Alimentação Escolar (CAE), enviado à CPI, comprovaram a omissão da Secretaria de Educação que, apesar da continuada e permanente reclamação das escolas, não se posicionou de forma adequada para exigir o cumprimento do contrato.

Ao contrário, disse a CPI, o total de multas, de R$ 8.330,28, ao longo do ano, num contrato de R$ 75 milhões, claramente induziu a empresa Milano a insistir na entrega do alimento fora dos padrões contratuais, diante de tão pequena penalização.

Documento em poder da CPI revelou que auditoria da Controladoria Geral do Município responsabilizou a Secretaria de Educação pela fragilidade no acompanhamento da execução do contrato, vindo ao encontro das conclusões da CPI.

O documento propôs as devidas ações para responsabilização civil e criminal dos infratores, em especial dos dois secretários – de Administração e de Educação, principais responsáveis, no mínimo, pela relapsia no trato da coisa e do dinheiro públicos. O primeiro, Índio da Costa, ao homologar uma licitação cujo resultado era evidentemente contrário ao interesse da administração; e a segunda, Sonia Mograbi, ao negligenciar por completo a fiscalização da execução do contrato. “Em ambos os casos, é de ser aferida tanto a responsabilidade pessoal dos secretários quanto a dos agentes a eles subordinados, quer na condução da licitação, que levou à elaboração do contrato, no caso da SMA, quer na fiscalização e acompanhamento da sua execução, no caso da SME”.

Além do Ministério Público Estadual, a CPI encaminhou o relatório ao Ministério Público Federal, uma vez que parte dos recursos da merenda escolar são repasses de verba do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação. Também foram encaminhadas cópias do relatório à Delegacia de Polícia Fazendária, ao Tribunal de Contas do Município e à Prefeitura do Rio.”

Há muito mais material sobre o tema na página da vereadora, repito, do PSDB, e nos jornais cariocas. Quem quiser – imagino que a imprensa queira – procurar, vai achar muito…

DEM impõe novo vice ao PSDB

Nesse momento nossa equipe de repórteres está levantando a ficha corrida do elemento Índio da Costa.
Sendo do DEM já dá para imaginar as qualidades do moço.
 Indio da Costa

Dilma começa governo economizando milhões ao ganhar no primeiro turno

Mesmo deixando de lado a hipótese (viável) de Serra seguir ladeira abaixo e ter a mais baixa votação que a direita já teve, as chances de segundo turno são próximas de zero.

É preciso considerar que brasileiro não gosta e não acompanha política e estamos no meio de uma copa do mundo. Antes de começar o horário eleitoral a campanha não terá começado para uma grande parte do eleitorado, justamente aquela parte onde Lula tem quase 100% de aprovação. Grande parte do eleitorado que mal sabe que haverá eleição esse ano e declara, em parte, intenção de voto em Lula, e que votaria em mim se o Lula aparecesse na TV pedindo isso.

Com apenas dois candidatos fortes, uma meia-boca e meia dúzia de unicelulares que terão uns 2% somados isso já é um segundo turno. Os elogios sem fim da mídia a Marina Silva buscam justamente evitar a derrota já. Mas sem partido, sem palanques fortes e com um discurso patético Marina vai cair, não crescer na hora H.

Não esquecendo que votos em branco e nulos não valem nada, não entram na conta, Dilma precisa de pouco mais de 5% para vencer já e numa eleição de dois candidatos cada voto perdido por um é voto ganho pelo outro. Dilma tem 40% e o resto 43%, somando os unicelulares Zé Maria, Eymael, Plínio e aquele outro cujo nome nem sei, temos uns 40 % contra 45%. Um modestíssimo aumento de 3% acompanhado de uma queda dos outros no mesmo nível significa vitória já.

Descontando os fanáticos babões que ganham a vida como comentaristas das Organizações Serra todo mundo sabe que quando começar o horário eleitoral e Dilma aparecer todo dia na TV ao lado de Lula vai ser como fogo morro acima ou água morro abaixo. Para quem tem memória curta era isso que Serra queria prevenir começando a campanha de verdade com grande vantagem no país e IMENSA vantagem na vanguarda do atraso São Paulo.

Com a campanha começando com Dilma vencendo no Norte, Nordeste, Centro-oeste, mais Minas, Espírito Santo e Rio no sudeste e a diferença caindo no sul, Serra tem menos chances que o Paraguai na copa do mundo. Muito menos. Na verdade estou ofendendo aos paraguaios. Perdão, paraguaios.

Hamba Kakuhle, Serra!

Algumas diferenças entre FHC/Serra e Lula/Dilma

terça-feira, 29 de junho de 2010

Bandido do DEM agride repórter

O nome do bandido covarde é Lorivaldo Rodrigues de Moraes, vulgo "Kirrarinha". A vítima é a jornalista Márcia Pache, da TV Centro-Oeste, afiliada do SBT no Mato Grosso.

Em outra ocasião, segundo o Portal Imprensa, o marginal teria agredido também o jornalista Celso Garcia, da TV Record.

Hamba Kakuhle, Serra!


Zé Ladeira despenca, diz Band

Recordar é viver

Lula pisa em Alckmin e cospe no PSDB em debate em 2006.


Dica do Fábio

Pesquisa Vox Populi confirma morte de candidatura Serra

Pesquisa Vox Populi sobre a eleição presidencial indica que Dilma tem 40% das intenções de voto. José Serra tem 35%. Marina (quem?) Silva, 8%. A margem de erro é de 1,8 ponto percentual.

Os resultados  são da pesquisa estimulada. Na modalidade espontânea Dilma tem 26% e Serra tem 20%.

A pesquisa foi feita de 24 a 26.jun.2010 com 3 mil eleitores. Seu registro no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) é o 16944/2010.

Serra negocia aliança com DEM

Apartheid, já!

Vejam que graça a dona Helena, perdão, a senhora Correia. Onde já se viu o governo investir dinheiro com obras que só beneficiam as favelas, não é? Lugares habitados por vagabundos e bandidos que nem seres humanos são, a maioria é de pretos, argh!!!. 

Quem foi o canalha que deu direito de voto a esses animais?
Saudosa do apartheid n'O Globo de hoje

Colaboração do Almir Pires. Posso publicar seu nome, Almir? Se não podia é tarde demais...

Grandes esperanças para a ciência brasileira

Grandes esperanças para a Ciência no Brasil
Enquanto o presidente Lula prepara-se para sair do cargo, pesquisadores esperam que inovações revigorarão economia.

Anna Petherick
Brasilia, Brasil

É raro que um Chefe de Estado termine um segundo mandato com taxas de aprovação de 80%. Mas quando o presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva chegou ao palco de uma conferência político-científica no mês passado sua popularidade era clara: mais de 3.000 cientistas, administradores e industriais levantaram-se para aplaudi-lo e saudar seu ministro da Ciência e Tecnologia  por cinco anos Sérgio Rezende.

Com um governo convencido de que a Ciência é parte essencial do crescimento da economia, pesquisadores brasileiros nunca viveram tempos melhores, e a 4ª Conferência Nacional sobre Ciência, Tecnologia e Inovação em Brasília, em 26 a 28 de maio, foi abundante de otimismo de um futuro ainda melhor. Na Conferência Lula assinou uma série de leis que ajudarão a manter seu legado de investimento científico depois que ele e Rezende sairem do cargo em 1º de janeiro de 2011. As leis, se aprovadas pelo congresso, têm como meta principal eliminar gradualmente a evasão de cérebros (Brain drain) e talvez até revertê-la.
...

Agradecimentos ao amigo Felipe Oliveira.

Aguardem para breve a tradução do resto porque traduzir é coisa muito desagradável.

Dilma dá aula de ética a jornalistas

Se Discute

Quando Serra e Aécio ainda disputavam a indicação para concorrer à Presidência pelo PSDB, o tucano paulista e sua turma prepararam um dossiê sobre a vida pessoal de Aécio Neves. Em resposta, Aécio e o PSDB mineiro encomendaram ao jornalista Amaury Ribeiro Jr, especialista na investigação de crimes de lavagem de dinheiro, um dossiê não sobre a vida pessoal de Serra, mas sobre o papel do governador paulista nas privatizações durante o governo FHC.

Mais tarde, com a decisão de Aécio de abdicar da disputa e concorrer ao Senado por Minas, o levantamento encomendado a Amaury já não era necessário. Porém, o jornalista mineiro levantou fatos (e crimes, provavelmente) tão relevantes – lembremos que se trata de um dos principais postulantes ao cargo-mor do país - que achou por bem publicar todo esse material em forma de livro, a ser distribuído na internet em breve.

Saber que esse material viria à tona gerou desespero em Serra. E assim a Grande Mídia, sua aliada, passou a fazer contra-informação: dizia que Dilma havia preparado um dossiê contra Serra, obviamente dizia isso sem citar o conteúdo do “dossiê”. O objetivo era duplo: prevenir e atenuar o impacto que o livro pudesse ter sobre a candidatura de Serra; e, ao mesmo tempo, manchar a imagem de Dilma imputando a ela um “dossiê”.

Um jornalista responsável se perguntaria: é factível que a campanha de Dilma tenha encomendado um dossiê, sendo que ela vem crescendo continuamente nas pesquisas e até mesmo já ultrapassou Serra em algumas pesquisas? Mas pelo visto, para se trabalhar nas redações da Grande Mídia um dos pré-requisitos é não ter ética, salvo raras exceções.

Nessa tarefa midiática de atribuir o livro a Dilma, ou seja, de fabricar uma realidade, a Veja “deu mídia” a um delegado que disse ter sido procurado por pessoas ligadas ao PT, que supostamente teriam pedido serviços de espionagem. Mais tarde, veio a público que esse delegado era muito próximo a Marcelo Itagiba, braço direito de Serra quando este era ministro da Saúde. Outra versão dos fatos diz que o delegado é quem procurou a campanha de Dilma oferecendo seus serviços de “arapongagem” – e hoje, sabendo dos laços que o ligam a Serra, suspeita-se de que ele tentou, na época, se infiltrar na campanha de Dilma.

Nesse ínterim, Amaury Ribeiro Jr disse que já reunira os documentos e que os entregaria em breve ao Ministério Público. A partir daí o factóide já tinha sido desmontado na internet. De lá pra cá, o tempo passou na janela e só a Velha Mídia não viu, parafraseando Chico Buarque.

Como mostra o vídeo abaixo, os jornalistas dessa velha imprensa continuam se achando detentores dos fatos e das verdades que vem a público, a ponto de insistirem nessa mentira já desmontada, de “dossiê feito por Dilma”, que na verdade é um livro, feito por um jornalista mineiro. Um duplo desrespeito: com Dilma e com a inteligência do público.

Enfim, a carroça andou; mas o Partido da Imprensa ficou parado no mesmo lugar, se achando dono da opinião pública. O resultado foi este nocaute dado por uma serena Dilma Rousseff.

Charlatão da Folha Sérgio D'avila faz papel de idiota diante de Dilma

Dilma humilha Sérgio Dávila e faz Folha engolir dossiê inventado

No programa Roda Viva o capacho dos Frias Sérgio Dávila desafiado por Dilma Rousseff a provar as mentiras que publica engoliu em seco e reafirmou as bobagens sem prova nenhuma. Dilma afirmou que não processa o pasquim da Barão de Limeira "em respeito à Liberdade de Imprensa". Na verdade não processa pela falta de credibilidade e de leitores de um jornaleco que envia milhares de exemplares gratuitos para quem não quer e distribui seu papel de forrar casinha de cachorro em shopping centers e esquinas movimentadas.

Pelo comportamento canino Dávila (abaixo) garantiu o emprego por vários anos.

segunda-feira, 28 de junho de 2010

Bandidos da Globo defendem golpe

A Globo mudou o nome de "golpista": agora é "cientista-político".
Cientista-político é o nome de bandidos que defendem a derrubada de governos estrangeiros. 
Tal qual Alexandre Barros, Nixon, Hitler, Mussolini e Kissinger. Todos "cientistas-políticos" segundo os critérios da Globo


Dica do Fábio

A farra dos pedágios



Dica do Antonio Carlos

Tucanos reúnem-se para debater rumos da campanha

Dilma enfrenta pelotão de fuzilamento da extrema-direita hoje

A candidata à presidência pelo PT concede entrevista ao programa Roda Viva nesta segunda-feira na TV Cultura.
A bancada de entrevistadores será formada por Merval Pereira (serrista fanático que diz ser jornalista e economista), Luiz Fernando Rila (editor executivo e coordenador da cobertura eleitoral do Grupo Estado), Sérgio Dávila (editor-executivo do jornal Folha de S. Paulo) e Vera Brandimarte (diretora de redação do jornal Valor Econômico).

Minha dúvida é se Merval Pereira vai conseguir conter as lágrimas pela derrota antecipada e o ódio patológico que sente por Dilma

SarDEMberg e MerDal choram em público naufrágio do Serranic



Interessante o mané falar que "estão abandonando o Serra antes da hora". Qual é a hora certa para se livrar desse peso morto, panaca? Depois que afundarem com ele?

Kennedy Alencar entrevista Dilma Rousseff - Parte 1

Kennedy Alencar entrevista Dilma Rousseff - Parte 2

Kennedy Alencar entrevista Dilma Rousseff - Parte 3

Mediocridade holandesa é ameaça ao Brasil

Futebol não é exatamente minha área, mas aproveitando essa overdose de copa do mundo vou dar minha opinião, exótica como sempre.

Tradição é algo que pesa demais no futebol, só de ver a seleção brasileira do outro lado todo mundo, com exceção da Argentina, já começa a tremer de medo. Não importa como esteja jogando o Brasil, teme-se a seleção brasileira e joga-se covardemente contra ela desde sempre.

A Holanda tem uma longa tradição de jogar bonito e perder. Excelentes equipes holandesas são inevitavelmente derrotadas por times mais fracos.

Nessa copa, entretanto, a tradição holandesa foi rompida. Um time burocrático, jogando sempre pelo regulamento e torcendo para o jogo acabar logo substituiu a tradição de "jogar como nunca e perder como sempre" da equipe laranja. Se pedissem minha opinião eu sugeriria trocar essa camisa pela azul para completar a semelhança com a feiúra italiana.

Juntando a pouca criatividade brasileira com a falta de vontade de jogar da Holanda cria-se uma situação perfeita para o triunfo da mediocridade. É perfeitamente possível que dessa vez a situação inverta-se e a Holanda jogue mal e ganhe.

¬Perigo, perigo! diria o robô do Perdidos no espaço.

Antes que alguém diga: "E o Chile, o Brasil nem jogou com o Chile ainda e você fica falando da Holanda?" eu respondo: "Chile, que Chile?" O Chile só se destaca em terremoto e golpe de estado. Poupem-me de explicar por que essa porcaria não é adversário para ninguém, muito menos o Brasil.

Pisa no freio, Zé!



Colaboração do amigo Fábio

'O Globo' tenta esconder naufrágio de Serra atrás da copa do mundo

Folha esconde 'Tucanic' de seus leitores-vítimas

Estadão continua escondendo a existência de Álvaro Dias, Bob Jefferson e DEM

Lágrimas na chuva

domingo, 27 de junho de 2010

Porta-saco de Tasso diz apoiar Dilma

Lula ofereceu casa, comida e roupa lavada para esse inútil e o panaca preferiu os holofotes da mídia. Agora, no limbo, o amigão de sempre do Tasso e do Aécio, tucano até na alma, tenta garantir um carguinho no governo Dilma. Too little, too late, panaca. Proponho o cargo de embaixador em Monróvia para o abestalhado.
O deputado federal Ciro Gomes (PSB) fez neste domingo, em Fortaleza, seus primeiros pronunciamentos públicos desde que teve rifada a sua candidatura à Presidência da República. Em duas oportunidades diferentes, ele pediu votos para a candidata Dilma Rousseff (PT).
A primeira delas aconteceu na convenção do PDT cearense, onde a ex-mulher dele, a senadora Patrícia Saboya, teve a candidatura a deputada estadual oficializada. Ao falar sobre o Brasil que, segundo ele, "está no rumo certo", Ciro referiu-se à Dilma como "nossa candidata".

Tudo que é sólido desmancha no ar

Tucanic afunda e mata 3% da população brasileira

Momentos antes do choque fatal contra a realidade

'O Globo' não conhece Álvaro Dias, José Serra, Rodrigo Maia, Roberto Jefferson...

Folha e Estadão escondem, ridiculamente, naufrágio do Tucanic

Sam Harris e a questão da morte

Rosa de Hiroshima

A Folha é uma droga

Não é só o jornalismo da Folha que é uma droga, os negócios da  famiglia Frias em geral são voltados para o público desinformado, com renda média e que busca afirmações genéricas de pessoas não-qualificadas para preencher o vazio cultural geralmente melhor preenchido com pipoca. O tipo de gente que compra livros de auto-ajuda e manda esses malditos e-mails com apresentações do Powerpoint anexadas para TODOS os amigos, conhecidos e qualquer um que lhes tenha um dia enviado uma mensagem.

sábado, 26 de junho de 2010

PSTU lança não sei quem candidato a não sei o quê

O tal sujeito vai se juntar àquele outro do PSOL na tentativa de derrotarem, juntos, o Eymael.

A Polícia Civil e o PSdB

Rodrigo Maia tenta salvar o que pode do naufrágio



Foi tenso o encontro entre Guerra e Maia. O demista jogou pesado: "Estamos bem, agora o porta-voz do Serra é o Roberto Jefferson!". Sobre não ter sido consultado: "O Serra combinou que ia me chamar para conversar sobre o vice"; "soube porque o senador Osmar Dias (PDT-PR) me ligou para perguntar se era verdade".
Sobre a escolha: "É um equívoco. O Sul está ganho. O vice tem de ser do Rio ou de Minas". Sobre a eleição: "A eleição nós já perdemos, não podemos perder o caráter". 
Tentaram me isolar, mas não conseguiram apoio". Sobre o vice: "O DEM não apoia, mas vocês têm o direito de ir sozinhos para a eleição.

Ronaldo Caiado chama Serra de "Cagão"

Tá certo que o Serra não é famoso pelo caráter, mas falta de vergonha tem limite.

O desqualificado e insignificante Caiado ridicularizou, humilhou e pôs a faca no pescoço do Zé Ladeira. Não é possível que esse sujeito que, um dia, quase foi alguém aceite isso de um partido em avançado estado de putrefação e de um deputado cujos eleitores têm quatro pernas.

Perca com dignidade, Pedágio! A vida não é só eleição.

“Esse é meu presidente, em quem me comprazo”

Lula cancela ida ao G-20 por causa das cheias no Nordeste

Apesar do risco de sofrer críticas dos países ricos, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva decidiu cancelar sua participação na reunião do G-20, em Toronto, neste fim de semana.

O presidente Lula chegou ao município metropolitano de Rio Largo, em Alagoas, e não gostou do roteiro previsto pelo seu cerimonial: ver o rompimento de uma antiga barragem no rio Mundaú e a destruição do asfalto da via principal de acesso da cidade e da linha férrea, a partir de uma área mais alta da cidade, no centro. "Não quero ver barragem, barragem a gente conserta" disse ele, ao chegar ao local, de acordo com os integrantes da comitiva que estavam ao seu lado.

Imediatamente, Lula voltou ao carro para ir visitar uma área devastada pela enchente do sábado, a Ilha Angelita. Ele afirmou querer ver de perto o sofrimento das pessoas.

No local, andou sobre destroços, lama, lixo, sentiu o mau cheiro que domina o local. Entrou em duas das casas que não foram totalmente derrubadas pelas águas, perguntou a situação das famílias e ao ser abordado por um rapaz que disse ter sido demitido há um ano e oito meses sem ter ainda recebido o seu FGTS, exclamou: "Tá ca bobônica".

Chamou um assessor que pegou os dados de Almir José Paulino, que foi dispensado da Usina Utinga Leão, para ver o que pode ser feito."Isso é que é um presidente", "esse Presidente é povão mesmo" gritavam os moradores que o acompanhavam e o aplaudiam. Cento e cinquenta ex-moradores da Ilha Angelita que estão abrigados na escola municipal Evanda Carneiro foram visitados pelo Presidente, em seguida.
Ele ouviu os pedidos de casa e ajuda de três deles, abraçou crianças, e prometeu ações rápidas, com o compromisso de que os desabrigados não voltarão a morar em áreas ribeirinhas e de risco.

Na cidade, Lula ouviu pedidos para que entrasse em casas arrasadas. Pediu então um par de botas para caminhar pelas ruas com lama.

Moradores o abraçavam e pediam ajuda. Muitos choravam. O presidente se emocionou ao dizer: "Um cidadão que estava ali com o pé enfiado na lama fedida podia até xingar o presidente e o governador", disse ele.

Os próprios integrantes da comitiva se impressionaram com a recepção calorosa da população a Lula, a despeito de toda a destruição.

sexta-feira, 25 de junho de 2010

Aliados de Serra ainda debatem escolha de Álvaro Dias

As mulas que nos governam

Com exceção de Mercadante e Maluf o resto não passaria no ENEM.

Só uma dica para meus queridos leitores, já que os deputados e senadores não têm conserto: quando te perguntarem algo cuja resposta você não sabe, diga que não sabe. Só isso: "Eu não sei". A não ser que faça parte da tua área de atividade e seja simples, qual é o problema de não saber alguma coisa? Problema é falar bobagem e fazer papel de idiota.



Contribuição do Flávio.

Organizações Serra confirmam chapa Pedágio/Botox

Comando do PCC da campanha de Serra confirma que Álvaro Botox  Dias deverá mesmo ser o vice
Adriana Vasconcelos

BRASÍLIA - Após uma reunião na quinta-feira à noite em São Paulo, o comando da campanha tucana chegou a um consenso de que não tem outro e vai esse mesmo o melhor nome para a vaga de vice na chapa de José Serra é o do senador Álvaro Dias (PSDB-PR). O presidente nacional do PSDB, senador Sérgio Guerra (PE), teria ficado incumbido, então, de consultar o resto da quadrilha os demais partidos da aliança que apoiam a candidatura de Serra. Mas antes que conseguisse falar com o DEM, o presidente nacional do PTB, o político honesto e cidadão ilibado, ex-deputado Roberto Jefferson vazou a informação em seu Twitter precipitando a festa no comitê de Dilma tudo.

“Esta é minha candidata, em quem me comprazo”

Dilma com boné do MST

Vejam essas fotos da Dilma com o boné do MST, na convenção estadual do PT-SE, na noite de ontem.

Ela fez o discurso todo com o boné do MST.

O PIG, que tenta pressioná-la a se colocar contra o MST, não deu nada.
Querem criar a idéia de que existe um consenso na sociedade contra o MST.
Não é verdade.

Conversa Afiada PHA

A realidade das palavras

“É preciso um constante exercício de autoconsciência político-histórica para não se deixar levar – principalmente não se deixar levar a escrever – pelo ideologês que ressoa neste mundo, citando Saramago, ‘de injustiça globalizada’”

Márcia Denser

Em artigo recente, o jornalista Robert Fisk do The Independent comenta: “No contexto Ocidental, a relação entre poder e mídia diz respeito a palavras – é sobre o uso de palavras. É sobre semântica (sobre o significado das palavras). É sobre o emprego de frases e suas origens. É sobre o mau uso da História e sobre nossa ignorância da História. Mais e mais, hoje em dia, nós jornalistas nos tornamos prisioneiros da linguagem do poder. É por isso que atualmente os editoriais dos jornais soam como se fossem discursos políticos.”

Trocando em miúdos: a ideologia vigente, neoliberal e multiculturalista, atualiza vertiginosamente palavras, sentenças, segundo a segundo, minuto a minuto, atribuindo-lhes novos significados com que nomeia a sempiterna realidade histórica. Conseqüentemente, o que chega até nós através da mídia não é a realidade em si, mas apenas a realidade das palavras. Razão pela qual é preciso um constante exercício de autoconsciência político-histórica para não se deixar levar – principalmente não se deixar levar a escrever – pelo ideologês que ressoa neste mundo, citando Saramago, “de injustiça globalizada”.

Exemplo pontual de tudo isso é o discurso de Serra, sobretudo, o discurso de Serra que os jornalões publicam acriticamente, passam liso, sem comentários, quando não elogiam com fervor seja lá o que for. Sabatinado esta semana pela FSP, Serra diz absurdos como “estou curiosíssimo para saber quem será meu vice” (who???????????) ou “quem ataca minha candidatura é terrorista” ou “a questão das privatizações ainda não está fechada” (para quem, para quê e em que sentido, cara pálida?). Já na área internacional, a grande vedete de Serra é a Bolívia – salvo o Irã, parece ser o segundo país do mundo capaz de absorvê-lo totalmente. Tais petardos verbais, um mix de truculência, meias verdades, asneiras, frases sem sentido e ameaças, na linguagem bélica correspondem a “contra-medidas”, às quais Serra recorre para fugir da abordagem direta dos fatos principais. E esse é todo o problema dos sem-discurso, modelito FHC.

Aliás, Serra quer repetir no Brasil inteiro o que fez na saúde pública em Sampa: mulheres pobres obrigadas a fazer parto sem anestesia; crianças sem imunização por falta de vacinas; doentes graves esperando seis meses na fila por um cateterismo, mas também para procedimentos de máxima urgência, como hemodiálise e quimioterapia – eis algumas constatações do quadro alarmante vivido pela saúde pública no estado de São Paulo. Segundo a Carta Maior, os dados são de uma pesquisa encomendada pelo próprio governo tucano junto a 350 mil usuários do sistema único de saúde no Estado. O resultado devastador foi mantido em sigilo pela gestão Serra por três meses, até que a blindagem acabou sendo furada pelo UOL, que divulgou os resultados desse trabalho no mesmo momento em que o candidato demotucano se auto-elogiava na sabatina da Folha.

Mas, e se Serra ganhasse, o que ele faria? No blog do Emir Sader, um engraçadíssimo exercício de ficção político-cientifica, que repasso aos leitores. Confiram:

“- Tiraria o Brasil do Mercosul;
- Assinaria um Tratado de Livre Comércio com os EUA;
- Tiraria o Brasil do Banco do Sul;
- Baixaria totalmente o perfil do Brasil na Unasul, no Conselho Sulamericano de Defesa na Comunidade dos Paises da América Latina e do Caribe;
- Promoveria uma aproximação privilegiada do Brasil com o México, a Colômbia, o Peru e o Chile;
- Tiraria o Brasil dos Brics;
- Nomearia Celso Lafer para o Ministério de Relações Exteriores e Rubem Barbosa para embaixador nos EUA;
- Paulo Renato, para reiniciar a privataria na Educação;
- Katia Abreu, para levar adiante a modernização da agricultura brasileira;
- Privatizaria a Caixa Econômica Federal, a Petrobrás e o Banco do Brasil;
- Colocaria um oficial da PM paulista para dirigir o Ministério da Segurança;
- FHC como Embaixador em Paris;
- E Gabeira em Roma;
- Romperia relações com o Irã, a Bolívia e a Venezuela;
- Compraria assinaturas da Veja para todas as repartições publicas e instituições federais;
- Nomearia Arnaldo Jabor para o Ministério de Comunicações;
- Artur Virgilio para dirigir a Zona Franca de Manaus;
- E Diogo Mainardi para cônsul em Veneza”.

Eis como se articula esta operação ideológica: começa com a “realidade das palavras” e se conclui com o pesadelo dos fatos.

Serra escolhe vice pior que ele

Claro que é difícil acreditar que alguém seja pior que Serra, mas convenhamos que a única qualidade que levou à escolha de Álvaro Dias foi o fato dele NÃO estar na cadeia ou prestes a ir para ela. Sendo de um estado tradicionalmente conservador o senador da peruca não acrescenta nada a Serra. A única coisa boa é que vai acabar a ridicularização do candidato do qual ninguém queria ser vice.
Senador tucano Álvaro Dias será o vice de José Serra
Catia Seabra na Ditabranda Online
Fontes do PSDB ouvidas pela Folha já dão como certa a escolha de Dias para a vaga, que, conforme revelou o "Painel" da Folha na última quinta-feira, já vinha pressionando a cúpula do partido para ocupar a vice.
Por meio do microblog (?) Twitter, o presidente do PTB, Roberto Jefferson, adiantou a informação: "Falei agora com o Sergio Guerra [presidente nacional do PSDB]. O vice será o Álvaro Dias", disse.

Tucana imbecil faz o que tucanos sabem fazer

Para quem acha que existe algo para se debater com a ralé fascistóide tucana essa é milionésima prova de que não há. O lixo branco tucano só consegue falar sozinho e sobre coisas inexistentes e calúnias imundas contra os adversários.

É uma total e completa inutilidade tentar debater com essa canalha. Lugar de tucano é no esgoto, o nosso é disputando o poder.
No Twitter, tucana insinua que Dilma não pode ser "babá"
DANIELA LIMA
DE SÃO PAULO

Vereadora por São Paulo, tetraplégica e "defensora de causas com foco na inclusão social", como ela mesma se apresenta, Mara Gabrilli (PSDB-SP) protagonizou polêmica ontem no Twitter ao fazer um questionamento sobre a candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff.

Em sua página no microblog, a tucana escreveu: "Você confiaria seus filhos para Dilma de babá?"
Minutos após a publicação da pergunta, começaram as críticas: "Não era você a miss antipreconceito?", disse um internauta. O ator José de Abreu, que exibe em seu perfil foto ao lado de Dilma, escreveu: "Dá para acreditar num absurdo desses?"
Militância tucana aguarda Graeff

quinta-feira, 24 de junho de 2010

Zé Pedágio, um homem coerente

Estadão contrata astrólogos, cartomantes e adivinhos para a eleição

Sem querer chutar os cachorros mortos do Estadão, mas quem é especialista em prever o futuro?

O sujeitos dizem que a Dilma vai crescer até agosto e depois...depois o quê, meu Deus? Se essa gente consegue prever o futuro por que não fazem as coisas que eu e você faríamos se tivéssemos essa habilidade mágica?

Nem perdi meu tempo procurando a ficha corrida dos especialistas, dá para imaginar que ligações eles têm.

Hino dos pedágios

Mário Corso, João Ricardo Cozac e Robson de Freitas Pereira são levemente canalhas e desconhecem o que seja ética profissional

Zero Hora usa psicanalistas para dizer que Dunga é paranóico
por Germano Leite

A ZH [jornal (?) gaúcho Zero Hora] acaba de criar, nos moldes do EAD, uma nova modalidade de consulta psicológica: a PAD (Psicologia a Distância).

A “cobaia” do jornal da rbs (afiliada da globo) foi o técnico (gaúcho) Dunga, rotulado como “neurótico” e “levemente paranóico” (entre outros), em uma consulta feita à distância (pela TV!).

Só esqueceram de dizer aos doutores que os diagnósticos dos pacientes estão protegidos por sigilo, e não podem ser distribuídos assim, através de um veículo de comunicação de massa.

Chora, Tavinho. Tavinho, chora. Pega essa pesquisa...

Estadão deprimido com situação eleitoral

quarta-feira, 23 de junho de 2010

Save the Serra Toucan!

Ache um vice e salve essa espécie da extinção!

Gráfico com todas as pesquisas de todos os institutos

Clique na imagem para AMPLIAR
Note que TODAS, sim todas, as pesquisas onde Serra sobe misteriosamente são do Ibope e Datafolha.
As únicas que aparecem fora da linha imaginária de evolução dos dois candidatos.

Cortesia de um sujeito lá do Estadão

Dilma passa Serra oficialmente

Com 40%, Dilma lidera corrida presidencial pela primeira vez, diz CNI/Ibope
É a primeira vez que petista aparece à frente do tucano em uma pesquisa eleitoral acima da margem de erro
Estadão
Carol Pires e Rodrigo Alvares

BRASÍLIA - Mesmo depois de o tucano José Serra ter sido amplamente exposto nos programas eleitorais que PSDB, PTB e PPS veicularam ao longo deste mês, a candidata do PT à presidência da República, Dilma Rousseff (PT), ganhou fôlego e aparece, pela primeira vez, liderando a pesquisa eleitoral do Ibope. Ela tem, segundo levantamento divulgado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), 40% das intenções de voto, contra 35 % de José Serra. Marina Silva, do PV, aparece com 9% da preferência do eleitorado.

Panfleto serrista da marginal Pinheiros diz que Dilma passou Serra

Passou Serra nas contas suspeitíssimas do Ibope, instituto onde o cliente sempre tem razão. Se nem o Ibope consegue achar algum jeito de esconder a vitória de Dilma imaginem os números reais quais devem ser.

CNI/Ibope mostrará Dilma à frente de Serra pela primeira vez
quarta-feira, 23 de junho de 2010 
Radar on-line do esgoto serrista da Veja
Lauro Jardim
com Paulo Celso Pereira, Ricardo Brito e Thiago Prado 
A pesquisa CNI/Ibope que será divulgada dentro de uma hora é um banho de água fria no PSDB. Segundo informações que já circulam na cúpula da campanha de Dilma Rousseff, o Ibope mostrará a petista com cerca de 40 pontos e José Serra com cerca de 35 pontos. É a primeira pesquisa do Ibope que põe Dilma na dianteira. A pesquisa foi feita nos três últimos dias em 141 municípios, com 2002 eleitores.

A pesquisa foi feita depois de 22 dias de pesada exposição de José Serra no rádio e na televisão. Normalmente, pesquisas feitas imediatamente após a aparição de um candidato nos horários gratuitos elevam suas intenções de voto entre três a cinco pontos percentuais. Serra contava com isso.
Contava com isso porque pensa que o mundo começa em Pinheiros e termina no Morumbi. Quanto mais aparecer na TV mais esse elemento vai perder votos.

Jornal terrorista chama Dunga de "fascista"

O jornal Folha de S. Paulo que apoiou não só ideologicamente, mas também fisicamente a ditadura, empregou criminosos dos porões do terrorismo de Estado como "repórteres", emprestou veículos para o transporte e posterior assassinato de opositores, divulgou sempre a versão dos assassinos de que as vítimas ("terroristas", claro) teriam sido mortas em combate quando foram mortas em torturas e chegou até a divulgar a morte de quem ainda estava vivo, acha que o treinador da seleção brasileira é um fascista. 

Um simples técnico de futebol que desentendeu-se com a mídia bandida, literalmente bandida, brasileira em defesa dos interesses que ele julga serem da seleção nacional que comanda.

Não o falecido canalha Octávio Frias, nem seu filho psicopata Tavinho que continua sua obra de terror, mas sim um técnico de futebol que nunca matou, nem torturou ninguém, nunca recebeu dinheiro do Estado corruptor para mentir em defesa de interesses criminosos. 
Veículo da família Frias utilizado pela ditadura para transportar vítimas do regime FASCISTA

Até tu, Folha?

Dunga em "Um dia de fúria"

terça-feira, 22 de junho de 2010

Taxi driver 2

Estrelando Dunga como o motorista de táxi e Alex Escobar como o repórter cagão:

PT processa maníaco da Mooca

PT processa Serra por danos morais no episódio dos dossiês
Reuters/Brasil Online
BRASÍLIA (Reuters) - O PT anunciou nesta terça-feira que processará o candidato do PSDB à Presidência, José Serra, por danos morais devido às acusações feitas pelo tucano de que o partido e a sua candidata, Dilma Rousseff, seriam responsáveis pela produção de dossiês que atingiriam o candidato.

A decisão de pedir uma indenização a Serra foi tomada depois que a Justiça de São Paulo definiu que a interpelação que fora protocolada pela sigla contra o candidato adversário não tinha justificativa, uma vez que as declarações de Serra haviam sido claras e não careciam de explicações.

Segundo o presidente do PT, José Eduardo Dutra, essa será a estratégia da campanha de Dilma Rousseff: evitar bate-bocas com a oposição.

"Achamos as acusações inaceitáveis", justificou Dutra a jornalistas.

O secretário-geral do partido, deputado José Eduardo Cardozo (SP), reconheceu que dificilmente o julgamento da ação será concluído antes das eleições de outubro. O processo será protocolado na Justiça de São Paulo na quarta-feira.

"Independentemente do valor, queremos que a nossa honra seja restabelecida em função das acusações", acrescentou Dutra.

A polêmica teve início depois que a imprensa publicou relatos de que integrantes do comitê de campanha de Dilma teriam supostamente tentado produzir dossiês contra pessoas ligadas a Serra.

Em resposta, o candidato tucano afirmou que sua adversária era a responsável pela iniciativa e por isso lhe devia um pedido público de desculpas. Afirmou também que o PT teria um histórico de produção de dossiês.

(Reportagem de Fernando Exman)

Um candidato que não precisa de adversários

 Crônicas do Motta
Cascas de banana

O tempo passa e José Serra vai se mostrando inteiro aos eleitores que só o conhecem por meio da propaganda oficial que pinta São Paulo como a versão contemporânea do Jardim do Éden.

Por mais chapa branca que sejam, as entrevistas feitas com ele dia sim, outro também, na óbvia tentativa de torná-lo mais popular, estão, pelo menos, servindo para que surja o verdadeiro Serra: um sujeito totalmente despreparado para exercer qualquer cargo público.

A "sabatina" da Folha é a quintessência do vazio. Serra consegue a proeza de se comprometer com perguntas absolutamente triviais. Atrapalha-se com questões que qualquer outro político apenas um pouco mais esperto tiraria de letra.
É de dar dó.

Os "melhores" momentos da "sabatina" desnudam um sujeito que não tem nada a dizer.
  • Privatizações
"Isso é usado mais como terrorismo eleitoral do que como realidade."
  • Aborto
"Liberar o aborto criaria uma verdadeira carnificina no país."
  • Falta de um vice
"Eu também tenho uma enorme curiosidade. Até o fim do mês resolve. Essa não tem sido uma questão estressante para mim, nem para grande parte do PSDB."
  • Bolsa Família
"É uma pena que você tenha pesquisado e deixado de ver o que o Lula falou. Antes de ser presidente, Lula e o PT chamavam o programa de Bolsa Esmola."
  • Acabar com o Bolsa Família
"Isso nunca me passou pela cabeça. É como dizer que é contra a energia elétrica, a água encanada."
  • Gripe suína
"Essa é uma das grandes gozações que eu sofri na minha vida pública, a coisa do porquinho."
  • Uso da máquina
"Por exemplo, falar de crack e no dia seguinte vir um programa contra o crack."
  • Bolívia e as drogas
"Nada contra o povo boliviano. É um país que tenho muito carinho. Agora, que o governo lá faz corpo mole, faz."
  • Sair do país na ditadura
"Viver na clandestinidade, se você tem cara conhecida, é praticamente impossível."
  • Fim da CPMF
"A CPMF, quando foi extinta, já não estava mais vinculada à saúde. Essa história de que prejudicou a saúde é conversa. O dinheiro da saúde já vinha escasseando, porque o governo deixou de mandar."
  • Royalties do pré-sal
"A questão dos royalties nunca poderia ter sido levantada em ano eleitoral. Para que? Criou-se a sensação de que o pré-sal está aí na esquina. Levantar em ano eleitoral é trazer a discórdia e a desavença para o país."
  • Exclusão do Morumbi da Copa de 2014
"Por mim, teria feito no Morumbi. Não teria acontecido nada. As obras que cabiam ao governo do Estado, nós nos encarregamos. Aquilo que precisava do governo, nós garantimos tudo."
  • Irã
"O Brasil entrou num caminho que não tinha mais volta. Eu não teria feito essa negociação. O presidente Ahmadinejad não é alguém confiável. Guardando as proporções, é como o pessoal que confiou em Hitler."

Felizmente, faltam ainda muitos dias para a eleição.

Até lá, certamente, Serra escorregará em muitas cascas de bananas espalhadas no seu caminho pelos seu próprios aliados.

Inflação desaba e cala terrorismo da mídia

Do IBGE

IPCA-15 de junho fica em 0,19, e IPCA-E fecha o semestre em 3,35%

O Índice de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15) teve variação de 0,19% em junho, taxa inferior à de maio (0,63%).
Com esse resultado, a variação do IPCA-E (acumulado do IPCA-15) ficou em 1,30% no segundo trimestre deste ano, pouco abaixo do segundo trimestre de 2009 (1,33%), e fechou o primeiro semestre de 2010 com 3,35%, resultado superior ao de igual período do ano anterior (2,49%). Considerando os últimos 12 meses, o índice ficou em 5,06%, abaixo dos 12 meses imediatamente anteriores (5,26%). Em junho de 2009, o IPCA-15 havia sido 0,38 %.

Por que Serra é tão grosseiro e mente tanto?

Porque manda na mídia paulista, os jornalistas sabem que podem ser demitidos se fizerem perguntas que o Stalin da Mooca não goste, e porque não pode falar a verdade. A verdade dos governos (?) Serra é vergonhosa. Um festival de incompetência, arrogância e crimes contra a população e o erário. 

Simples assim. Serra não tem escolha, não pode agir como uma pessoa, governante e candidato decente, coisa que nunca foi.

Serra mentiu sobre pedágios da Ayrton Senna
Luis Nassif

Para entender a reação grosseira de José Serra à pergunta de Heródoto Barbeiro, é preciso retomar 2005.

Naquele ano formou-se a frente jornalística destinada a depurar as redações de qualquer voz discordante em relação à nova linha acertada. entre jornais, mais a Veja. José Serra esteve à frente dessas articulações.

Naquele ano, ele tentou por várias vezes emplacar um programa de Reinaldo Azevedo na TV Cultura. Desistiu depois de resistências gerais. Mas pressionou por diversas vezes o Roda Viva para incluir o blogueiro entre os entrevistadores.

Ao assumir o governo de São Paulo, deixou claro sua ojeriza a Heródoto, a quem acusava de ser petista. Provavelmente por pressão dele, o Paulo Markun afastou Heródoto da ancoragem do Jornal da Cultura. Foi uma medida incompreensível para quem não acompanhava os bastidores já que, até então, os únicos jornalistas da Cultura com premiações permanentes nas eleições do portal Comunique-se (que congrega mais de 100 mil jornalistas de todo o país) eram Heródoto e eu, além do próprio Markun. Heródoto, aliás, uma unanimidade como âncora de rádio e de TV.
Markun liquidou com o modelo histórico do Jornal. Ante uma avalanche de reclamações, Heródoto voltou à ancoragem mas dentro de um formato anódino em que praticamente foi anulado. Entre os que acompanham sua carreira, só paranóicos da ultra-direita ousariam taxá-lo de petista.

Quanto à resposta do Serra à questão do pedágio, revela a dificuldade em casar discursos. Defende genericamente queda na carga tributária. Mas a argumentação em favor dos pedágios mostra claramente a opção pelo aumento da carga.

Quando diz que «aprimorou» os pedágios, os pontos que levanta são a obrigatoriedade das concessionárias investirem nas próprias estradas e de pagarem pelas concessões para investimentos em estradas vicinais.

Trata-se de uma forma óbvia de aumento brutal disfarçado de tributos. Os bilhões que as concessionárias pagaram ao Estado foram incluídos no preço dos pedágios, é óbvio. Os recursos para estradas, antes, saíam, do IPVA e do orçamento estadual. Agora, além de pagar o ICMS e o IPVA, o contribuinte paulista paga adicionalmente os pedágios. E essa conta salgada não entra no cálculo da carga tributária paulista. Na resposta de Serra é como se o dinheiro tivesse saído do lucro das empresas.

E não se trata de nenhum aprimoramento: esse modelo de concessão (a chamada concessão onerosa) sempre foi empregado nas concessões paulistas, desde os tempos de Mário Covas. Mantém tudo como está e diz que "aprimorou" a mudança. Se aprimorou alguma coisa, foi a cobrança.

Estilo Maluf

Serra incorporou também um estilo bastante empregado por Paulo Maluf nas entrevistas. Quando questionado sobre um ponto, cobra do entrevistador detalhes do tema perguntado. Entrevistador têm as perguntas; presume-se que os entrevistados, a resposta. Devolver a pergunta ao entrevistador, exigindo dele conhecimentos detalhados do tema é malandragem típica do estilo Maluf - que Serra vem empregando continuamente nas suas entrevistas. Depois de tentar desarmar a pergunta com essa jogada, sofisma-se à vontade. Ou, como no caso do pedágio, mente.

Por exemplo, insistiu que na rodovia Ayrton Senna o pedágio caiu pela metade. Mas não informou que a cobrança dobrou: antes, cobrava-se numa direção única; depois da mudança, passou-se a cobrar na ida e na volta.

Do site Caminhoneiro: «Os valores irão variar entre R$ 2,30 e R$ 1,70. Mas os motoristas terão que pagar em quatro praças, enquanto antes paravam para pagar em apenas duas. O valor será o mesmo, mas o tempo perdido será maior».

Michael Specter: O perigo da negação da ciência

Clique em "View subtitles" e escolha o idioma.

A ciência pode responder…

A ciência pode responder progressivamente a cada vez mais coisas.
Sam Harris vai um passo mais à frente e propõem que a ciência pode responder a questões relativas à moral.

Clique em "View subtitles" e escolha o idioma de sua preferência.

segunda-feira, 21 de junho de 2010

Capacho global é sucesso no Twitter

Depois do sucesso do "cala a boca, Galvão", a onda agora é "cala a boca, Tadeu Schimidt". O motivo da revolta com o apresentador do "Fantástico" é porque ele afirmou que a "Globo se preocupa com a verdade e em transmitir a melhor informação". (Falou sério!!)

O técnico da seleção brasileira, Dunga, proibiu a presença da imprensa nos treinamentos, resultando em uma verdadeira guerra entre os profissionais da imprensa contra o comandante da seleção.

Nem a vitória sobre a Costa do Marfim por 3 a 1 e a classificação para a próxima fase amenizou a situação. Durante a entrevista coletiva depois do jogo, o jornalista Alex Escobar estava ao telefone, falando com o também jornalista Tadeu Schimidt, irritado, Dunga o chamou de cagão e de merda.

SRZD

Adobe processa Serra por mau uso do Photoshop

Clique nessa porcaria de imagem para AMPLIAR o desastre

Governo americano pode impor sanções ao Brasil por essa ofensa aos produtos americanos.
Agradecimentos à jornalista Flávia Durante - Twitter - e ao grande AbundaCanalha

PSOL lança candidato senil à presidência...

...do asilo. Alguém liga para quem ou o quê o PSOL lança? Nem a Heloísa Helena, a histérica, liga. Imaginem os  99,9999999% dos brasileiros que não conhecem ou não gostam desse agrupamento de dementes.

domingo, 20 de junho de 2010

Não mexa com meu amigo, bundão!

Um grito parado no ar

Dunga quase fala o que pensa de repórter bundão brasileiro em coletiva.

Essas legendas não me parecem muito fiéis ao espírito do treinador brasileiro.

Come together

A triste sina de Heloísa Helena

Emir Sader

Heloísa Helena havia feito campanha contra o aborto, embora presidente de um partido que havia se pronunciado a favor. Ao mesmo tempo, ela afirmou que preferia seus 10 minutos na TV Globo do que não renovar a concessão do canal de televisão privado venezuelano feito por Hugo Chavez.

Sabia-se, pelo seu próprio estilo – revelado claramente na campanha eleitoral de 2006 -, que ela atua individualmente e não como dirigente de um coletivo partidário. Recentemente ela questionou o resultado da consulta interna feita para indicar o candidato à presidência. Ela preferia que o PSOL apoiasse Marina, mas rapidamente se revelou, nas negociações, como não havia identidade ideológica e política mínima entre o partido e a candidatura da Marina.

Heloisa Helena tinha afirmado que não faria campanha nas eleições para o vencedor da consulta – Plinio de Arruda Sampaio. Mais recentemente, reafirmou que apóia Marina nas eleições presidenciais, contrariando frontalmente a posição formalmente adotada pelo PSOL. Plinio pediu que ela seja removida da direção do PSOL, pelas posições que tem tomado.

Heloisa Helena disse também que “já entregou sua cota” e que agora se dedicaria ao povo do Alagoas – isto é, à sua candidatura ao Senado. Acrescentou que teria sido usada pelo partido na campanha presidencial.

Uma atitude absolutamente individualista, coerente com o seu comportamento na campanha presidencial, que privilegia sua campanha, que lhe garanta um mandato, independentemente do desempenho do seu partido. Já na campanha para vereadora, Heloisa Helena havia dito que o companheiro de bancada do mesmo partido tinha sido eleito sem mérito, pelos votos dela, que não merecia ter um mandato.

Não será de surpreender se ela fizer a campanha da Marina e, finalmente, se eleita, sair definitivamente do PSOL e se vincular ao PV ou a algum outro partido, ou, se não eleita, se retirar da política.

Uma triste sina de quem pretendia encarnar uma perspectiva mais radical do que o PT e construir um partido com essa perspectiva. Hoje falta ao respeito com o seu partido e com Plinio de Arruda Sampaio e toda sua trajetória de lutas na esquerda brasileira.

Postado por Emir Sader
Real Time Web Analytics